Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

Psicólogo é para doido? Resposta definitiva

Afinal, psicólogo é para doido? A resposta simples é: depende! É uma pergunta que tem resposta sim, mas precisamos entender a pergunta para respondê-la. Primeiro, o que você está chamando de doido? Se existem doidos, existem pessoas normais? Supostamente sim, certo? Se tem gente doida, também tem gente não-doida, que é o que no senso comum dizemos que são pessoas “normais”. Se você chama de doido aquelas pessoas que precisam de cuidados especiais no quesito saúde mental, então você está se referindo às pessoas com transtornos mentais e com sintomas psicóticos. Psicólogos também tratam e ajudam essas pessoas. Então, olhando por este lado, psicólogo é para doido sim. Mas a resposta mais adequada é: psicólogo é para doido também! O também é explicado pelo fato de psicólogos terem condições de ajudar (e muito) pessoas que não sofrem de transtornos mentais também! Por exemplo, a maioria dos meus clientes não tem nenhum transtorno mental, mas vivem situações que trazem sofrimento. E é por isso qu…

Uma homenagem à criança que um dia eu fui

Um dia, me deparei com essa imagem em alguma rede social. Não sei se esta é uma reflexão que muitas pessoas fazem, mas sei que eu sempre fiz. Normalmente, não é uma reflexão que leva a boas conclusões – porque, acredite, sua versão criança sempre tende a ser melhor do que a sua versão adulta -, mas é importante voltar a ela de tempos em tempos, para checar como anda o seu contato com a sua parte mais pura, autêntica e criativa: sua criança interior.
Apesar de todas as mudanças no decorrer das nossas vidas, de tudo o que está contido no verbo “crescer”, de todas as responsabilidades que temos que assumir, e que acabam ocupando a maior parte do nosso tempo, é importante sempre ter presente e trazer pra perto aquela fase da vida em que passávamos a maior parte do tempo brincando: a infância. Pense um pouco e responda: como você era quando criança? O que gostava de fazer? O que você queria ser quando crescesse? Tente relembrar as sua características mais marcantes, os momentos mais especia…

A blindagem social que as redes sociais nos fornecem

Textões, caixas coloridas de mensagem, debates nos comentários do G1, (muita) agressividade e hostilidade, fotos espetaculares, são alguns fenômenos que acontecem nas redes sociais. E estes têm relação com o tema sobre blindagem que iremos discutir. Acredito que é de senso comum que se expor nas redes sociais é diferente de se expor na vida real. Isso não é generalizar que para todas as pessoas é assim, é apenas apontar o fato, e percebemos que ele não causa estranheza para a maioria das pessoas. Há muita gente que se sentem muito mais à vontade em expor opiniões nas redes sociais (seja em comentários de portais de notícias ou na própria linha do tempo), do que fazer esta exposição na vida real – até mesmo para as pessoas mais próximas e íntimas. Ora, até para mim é assim, ao agir irrefletidamente me pego no ímpeto de escrever um textão sem muita utilidade ou comentar algo para pessoas que não estão abertas a dialogar. É um fenômeno interessante, do ponto de vista psicológico, e por iss…

O incômodo lugar do não-saber

Todos os dias de nossas vidas temos que tomar alguma decisão. Nem que seja o que comer no café da manhã. Decisões fazem parte da vida das mulheres e homens modernos. Nossas escolhas diárias são o exercício pleno da nossa liberdade que, como já dizia Jean-Paul Sartre, é também nossa condenação. Às vezes, as decisões que temos que tomar são simples e fáceis de escolher; outras vezes, são mais complexas e todas as opções que nos são apresentadas parecem conflitantes. Independente de qual seja o caso, há uma questão que, na contemporaneidade, tem sempre perpassado o processo de decisão: a pressa.
Em uma sociedade em que o progresso tem sido incessantemente buscado, dentre outros, por meio de uma evolução contínua da tecnologia, somos treinados, desde nosso nascimento, a realizar tudo com celeridade, rapidez. Ninguém mais tem tempo e/ou paciência de esperar as coisas acontecerem, uma vez que, se você precisa de alguma informação, pode imediatamente fazer uma busca no Google pelo seu celular…