Pular para o conteúdo principal

9 vídeos para assistir com as crianças

Fonte: Revista Crescer

Neste texto selecionamos uns dos melhores vídeos para assistir com as crianças! Filhos, sobrinhos, na escola, etc. Em qualquer lugar!

Os vídeos foram escolhidos baseando-nos em um principal critério. Queríamos escolher vídeos que provocassem ricas reflexões! E que ajudassem as crianças a refletir sobre seus atos e comportamentos, de modo a ajudá-las a serem melhores para si mesmas e para os outros.

Obviamente, para isso é importante que o adulto assista o vídeo com a criança, e converse com ela logo em seguida, assim a reflexão e elaboração serão mais construtivas. É importante também que o adulto tenha em mente que são vídeos com caráter educacional, mas a abordagem com a criança não deve ser impositiva - ou seja, dizer para a criança o que o vídeo significa e o que ela deve fazer depois de ter assistido ao vídeo. Não!


As crianças devem ter abertura para falarem o que quiserem! Pois algo chamará a atenção dela no vídeo, e é onde está a oportunidade de reflexão. Mas você, adulto, também terá a oportunidade de falar com ela o que mais chamou sua atenção, mas não imponha a ela sua percepção! Pergunte a ela o que ela achou do que você disse e vá conversando fluidamente com ela!

E, é claro, os vídeos também têm reflexões para os adultos. Então eles também podem interessar a você!

Por se tratarem de animações, é muito provável que as crianças tenham interesse e prestem muita atenção nos vídeos.

Enfim, após esta introdução importante, confira a seguir os vídeos que escolhemos.

1 - O Farol




O que mais te chamou atenção no vídeo? O que mais me marcou foi como as pessoas do povoado acudiram o trabalhador do farol. Isso me fez pensar sobre como às vezes tenho um problema, e tento resolver sozinho, sendo que outra(s) pessoa(s) estariam dispostas a me ajudar. Então, acredito que posso refletir mais sobre guardar coisas para mim, sendo que posso contar com outras pessoas que amo.

2 - A Lua




Este vídeo me fez pensar sobre as diferenças entre gerações, e como isso gera conflito entre as pessoas de diferentes idades. Será que tenho as respostas que uma outra geração precisa? Será que não é melhor cada um encontrar as próprias respostas com o que nos é fornecido? Assim como o garoto no vídeo...

E você? O que pôde refletir sobre o vídeo?

3 - O Presente




Este vídeo me emocionou. Nunca mostrei para uma criança, mas acredito que ele evoca uma reflexão a respeito das necessidades especiais de cada um. Claro, é muito diferente a necessidade do garoto do vídeo das necessidades de cada um. Mas me deparei com uma reflexão ao assisti-lo. Será que tenho o necessário para ser feliz? Será que fico encontrando desculpas em minhas limitações para não agir perante meus desafios?

Foi a forma como o vídeo me tocou. E ele te tocou de alguma forma?

4 - Piper - Descobrindo a vida





Fenômeno pelo qual todos nós passamos: de explorar o desconhecido. Acredito que para mim o que ficou foi sobre a importância de permitir aos pequenos correrem riscos. Obviamente, é preciso monitorar, para que as crianças corram riscos seguros. Por exemplo, descobrir como são os relacionamentos interpessoais, permitir que ela resolva seus próprios problemas de relacionamentos, é muito importante para desenvolver autonomia e habilidades sociais.

E você? O que a experiência de Piper levou você a pensar?

5 - Alike



O vídeo me levou a pensar sobre a importância de atos sutis para o bom relacionamento com crianças. É possível que um simples ato, como o do pai no fim do vídeo, possa fortalecer o vínculo com a criança. E pensei também sobre as cobranças que as crianças são submetidas, e não é difícil esquecer que o desenvolvimento infantil saudável e bem sucedido não se restringe ao âmbito escolar, é muito mais que isso.

Concorda? Qual foi sua reflexão?

6 - Nuvem em festa




O vídeo me fez pensar sobre as aparências da vida, e também sobre as responsabilidades. A cegonha poderia ter abandonado a sua nuvem parceira? Sim. Mas ela não o fez, buscou recursos para dar conta do compromisso que assumiu. E as aparências da felicidade das outras cegonhas, que me fez questionar se largar a nuvem que criava animais perigosos, seria mais valioso que o relacionamento já cultivado.


São temas interessantes para uma criança refletir sobre. O que você acha?

7 - O Farol (outra animação)




Não consegui não pensar nos vários estágios de relacionamento entre pais e filhos. Não há muito o que se dizer sobre este vídeo, são muitas reflexões íntimas que ele propicia. É muito rico para pais e filhos assistirem juntos e dialogarem sobre o conteúdo. As famílias só têm a ganhar em vínculo e proximidade.

E como o vídeo te tocou?

8 - Tolerância




Sobre a diferença de crenças e valores, que não necessariamente não podem coexistir. Vemos no vídeo que os homens acabaram se auto-destruindo quando disputaram qual seria a crença prevalente. Um bom conteúdo para gerar reflexão e tolerância para crianças.

O que você pensa a respeito

9 - Bullying



Este vídeo tem um funcionamento um pouco diferente. Ele tem menor caráter lúdico, pois existe uma narração e apresentação de conteúdos conceituais. No entanto, não invalida a importância dele para o crescimento das crianças, pois ele apresenta de forma clara, por meio da animação, o que é bullying, e assim, fornece recursos para as crianças se conscientizarem e saberem como proceder ao vivenciá-lo.

Bônus: Divertida Mente




Colocamos estes dois últimos como bônus, pois se tratam de longa-metragens. Também tem ricas reflexões para crianças. Divertida Mente mostra a importância das emoções na vida, tanto a alegria quanto a tristeza, como indicativos do que é bom para nós para fazermos melhores escolhas.

Ao assisti-lo, pergunte seu(sua) filho(a) o que ele achou do filme, e o que achou dos personagens.

Bônus 2: Angry Birds



Angry Birds também tem uma boa apresentação que para ser feliz, não importa só o sentimento de felicidade. Outras experiências, como a de raiva por exemplo, podem nos mostrar o que é importante para nós, e a partir da tomada de consciência desses sentimentos, podemos crescer e agir melhor. Reprimir raiva ou nervosismo não é construtivo, vide o que acontece no filme. Devemos conversar sobre isso com nossas crianças!

E então, o que você achou desta lista? Compartilhe com amigos e família se gostou!

Quer sugerir mais vídeos para assistir com as crianças? Comente com sua sugestão!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Psicólogo é para doido? Resposta definitiva

Afinal, psicólogo é para doido? A resposta simples é: depende! É uma pergunta que tem resposta sim, mas precisamos entender a pergunta para respondê-la. Primeiro, o que você está chamando de doido? Se existem doidos, existem pessoas normais? Supostamente sim, certo? Se tem gente doida, também tem gente não-doida, que é o que no senso comum dizemos que são pessoas “normais”. Se você chama de doido aquelas pessoas que precisam de cuidados especiais no quesito saúde mental, então você está se referindo às pessoas com transtornos mentais e com sintomas psicóticos. Psicólogos também tratam e ajudam essas pessoas. Então, olhando por este lado, psicólogo é para doido sim. Mas a resposta mais adequada é: psicólogo é para doido também! O também é explicado pelo fato de psicólogos terem condições de ajudar (e muito) pessoas que não sofrem de transtornos mentais também! Por exemplo, a maioria dos meus clientes não tem nenhum transtorno mental, mas vivem situações que trazem sofrimento. E é por isso qu…

Auto-suporte

O assunto de hoje é auto-suporte (ou auto-apoio). Escolhi este tema devido a uma reflexão pessoal à qual a prática clínica tem constantemente me levado nos últimos anos. Não sei se é um sintoma da nossa sociedade contemporânea, mas tenho visto com muita frequência uma dificuldade geral das pessoas em suportar-se a si mesma (o pleonasmo é intencional), e tendendo a buscar apoio externamente; no meio, ou no outro. E neste contexto, a palavra suporte refere-se desde o aspecto emocional – buscar desfazer-se da dependência emocional do outro – até aspectos objetivos – mobilizar a energia necessária para correr atrás de seus objetivos de vida por conta própria.
Tenho visto, a cada dia, as pessoas buscando apoio no outro de forma exagerada, de modo a delegar ao outro a responsabilidade de fornecer as ferramentas necessárias para seu crescimento. Isso acontece, principalmente, devido ao modo como lidamos com nossas frustrações. Um exemplo comum, utilizado por Perls (1977), refere-se a um discu…

Polaridade

Todos nós já experimentamos, em algum momento, um dilema interno. Alguns dos mais comuns são: razão X emoção, querer X dever, eu X o outro, quem eu sou X quem eu queria ser. Além disso, existem também aqueles conflitos gerados por características internas opostas que possuímos, mas que não acreditamos poderem coexistir, em função de suas naturezas contraditórias. Por exemplo, posso possuir a característica do altruísmo, mas também a sua polaridade, o egoísmo. Nessas situações, é como se sentíssemos que nossas forças internas estão agindo em sentidos opostos.
Normalmente, tendemos a pensar que temos que escolher entre um e outro. O clássico conflito razão X emoção é um excelente exemplo que pode surgir em momentos de decisão, e que geralmente acaba nos levando a uma interminável disputa interna. O mesmo acontece com a nossa realidade interior, uma vez que possuímos tanto características aceitáveis quanto inaceitáveis, de acordo com a norma socialmente difundida e, nesses casos, acabamos…